Presentamos a la comunidad científica uno de los productos del ALFALito realizado en la Universidad Federal de Paraíba - Brasil en 2018.

 

 

 

Libro completo en pdf

 

 

SUMÁRIO

 

 

Apresentação - Pág. 07

 

 

Parte I – Forma e função - Pág. 11

 

Curva melódica das manifestações emotivas da alegria e tristeza na fala de pessoas com e sem Down - Taís Ferreira Brito; Marian Oliveira (UESB) - Pág. 13

 

Percepção dos brasileiros na composição de palavras por base+base: balanceamento do número de sílabas e haslologia atuando no portmanteau - Emerson Viana Braga; Vera Pacheco (UESB) - Pág. 29

 

A palatalização do /s/ em coda em registro de fala natalense – Carla Maria Cunha; Priscila Sheila de Medeiros da Silva (UFRN) - Pág. 45

 

Flexão de ‘cada’ em concordância com o silent noun set – Bruna Karla Pereira (UFVJM) - Pág. 63

 

A concordância verbal de terceira pessoa e o contato linguístico no português de moçambique - Karen Cristina da Silva Pissurno (UFRJ) - Pág. 80

 

A colocação pronominal como pista de “grupos estabelecidos e outsiders” - Marilza de Oliveira (USP) - Pág. 97

 

A conceptualização manipulativa da construção [falar para infnitivo] - Vanda Maria Cardozo de Menezes (UFF) - Pág. 115

 

A variação lexical de calcinha e cueca em três regiões brasileiras e as relações temporais feitas pelos falantes: um recorte do projeto ALiB - Maria Bethânia Gomes Paes; Marcela Moura Torres Paim (UFBA) - Pág. 127

 

A forma e as funções do sufxo –inho no português e a sua tradução para o alemão: uma cervejinha ou ein bierchen? - Pedro Paulo Nunes da Silva (UFPB) - Pág. 144

 

 

Parte II – Política Linguística - Pág. 167

 

Política e planejamento linguístico: panorama das pesquisas em teses e em dissertações no Brasil - Socorro Cláudia Tavares de Sousa; Roberta Soares Paiva; Camila Geyse Virgulino (UFPB) - Pág. 168

 

O ensino do idioma espanhol na cidade de João Pessoa: encontros e desencontros entre as políticas declaradas, praticadas e percebidas - Daniella de Melo Vanderlei Ferreira (UFPB) - Pág. 191

 

 

Parte III – Atividades de Ensino e Aprendizagem / aspectos textuais e discursivos - Pág. 215

 

Posicionamento enunciativo e autoria em textos-discursos da enfermagem: uma análise sobre escrita acadêmica - Anielle Andrade de Sousa; Regina Celi Mendes Pereira (UFPB) - Pág. 216

 

Estratégias dialógicas do professor em aulas de leituras - Ramísio Vieira de Souza; Maria de Fátima Almeida; Janielly Santos de Vasconcelos Viana (UFPB) - Pág. 239

 

Direitos de aprendizagem no eixo escrita: concepções de professores do 3º ano do ensino fundamental - Jaciara de Lira Almeida Dantas; Evangelina Maria Brito de Faria (UFPB) - Pág. 261

 

Profssão docente em contexto multicultural e linguístico: representações sociais de professoras de língua portuguesa reveladas em tempos desbussolados - Nilmara Milena da Silva Gomes (UERR) - Pág. 277

 

 

 

 

**********************************

 

 

 

La revista oficial de la Asociación, Lingüística, se hizo acreedora al prestigioso premio que otorga la Editorial Elsevier, junto con su base SCOPUS, cuyo objetivo es reconocer la producción académica de excelencia. 

La ANII (Agencia de Innovación e Investigación de Uruguay) lo consideró “de interés”.

 

La premiación tuvo lugar el  jueves 11 de octubre en el Radisson Victoria Plaza Hotel de Montevideo. 

Recibió el premio el Director-Editor de la revista Lingüística, Dr. Adolfo Elizaincín. 

 

 

ELSEVIER

PREMIO EXCELENCIA URUGUAY 2018

Periódico (Revista) con mayor Citescore

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Adolfo Elizaincín, Director-Editor de la revista Lingüstica

 

 

Raúl Scavarelli, Adolfo Elizaincín y Carina Patrón, parte del equipo de la revista Lingüística

 

 

 

 

**********************************

 

 

 

A LINGUÍSTICA BRASILEIRA E O DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS COLETIVOS

 

 

Ataliba T. de Castilho

Coordenador do Projeto de Gramática do Português Falado

Coordenador do Projeto de História do Português Brasileiro

Professor Emérito da USP

Professor Titular Convidado da Unicamp

 

 

 

 

Uma característica marcante da Linguística Brasileira é o tratamento de temas fundamentais da identidade linguística dos brasileiros por meio de projetos coletivos. 

 

Para participar desses projetos, são convidados linguistas experientes sobre o fenômeno da linguagem. Nunca produtivas do que as semelhanças.

 

São muitos os projetos coletivos desenvolvidos em nosso país, mas vou aqui focalizar apenas dois deles, dada sua extensão e complementaridade.

 

 

Gramática do Português Culto Falado no Brasil (GPF)

 

Esse projeto de desenvolveu entre 1988 e 2016, tendo por objetivo examinar com mais precisão os materiais levantados Estudo da Norma Urbana Culta (Projeto NURC), desenvolvido entre 1970 e 1990, em cinco capitais brasileiras, sendo quatro fundadas no século XVI (São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Recife), e uma fundada no século XVIII (Porto Alegre). 

 

O Projeto NURC documentou amplamente a fala urbana, complementando os projetos de dialetologia rural. Agora, o objetivo era registrar e descrever a linguagem dos grandes centros urbanos.

 

Os amplos materiais retrataram o Português Brasileiro tal como utilizado em entrevistas, diálogos e aulas, trazendo a língua falada para o centro das preocupações científicas. Esses materiais continuam abertos à pesquisa no site do Centro de Documentação Linguística e Literária Alexandre Eulálio, do Instituto de Estudos da Linguagem da Unicamp: www3.iel.unicamp.br/cedae

 

O era uma gramática de referência do Português Brasileiro falado, ampliando os temas e modernizando os pontos de vista teóricos até então vigentes nesse gênero científico.

 

Numa primeira fase, os pesquisadores organizaram-se em grupos de trabalho: Fonética e Fonologia, Morfologia, Sintaxe gerativista, Sintaxe funcionalista, Organização do texto. Cada grupo escolheu uma perspectiva teórica e estabeleceu uma agenda de pesquisas. Os resultados assim obtidos foram apresentados em dez seminários, realizados entre 1990 e 2002, cujos resultados foram publicados em uma série própria, pela Editora da Unicamp, com o apoio da Fapesp.

 

Finalizada a agenda dos grupos, veio a consolidação dos resultados, em sete volumes:

 

Vol. 1 - Clélia Cândida Spinardi Jubran (Org. 2015). A construção do texto falado. São Paulo: Editora Contexto / Fapesp.

 

Vol. 2 - Mary A. Kato e Milton Nascimento (Orgs. 2015). A construção da sentença. São Paulo: Editora Contexto / Fapesp.

 

Vol. 3 - Rodolfo Ilari (Org. 2014). Palavras de classe aberta. São Paulo: Editora Contexto / Fapesp.

 

Vol. 4 – Rodolfo Ilari (Org. 2015). Palavras de classe fechada. São Paulo: Editora Contexto / Fapesp.

 

Vol. 5 - Maria Helena de Moura Neves (Org., 2016). A construção de orações complexas. São Paulo: Editora Contexto / Fapesp.

 

Vol. 6 - Ieda Maria Alves e Ângela C. S. Rodrigues (Orgs. 2015). A construção morfológica das palavras. São Paulo: Editora Contexto / Fapesp.

 

Vol. 7 – Maria Bernadete Marques Abaurre (Org. 2013). A construção fonológica da palavra. São Paulo: Editora Contexto / Fapesp. 

 

O leitor interessado encontrará aqui o que de melhor a Linguística brasileira publicou nos últimos anos, em matéria de reflexão gramatical. Além de renovar a área, reunindo os linguistas mais preparados do país, a coleção fez do Português Brasileiro a primeira língua românica a ter sua variedade falada culta amplamente descrita.

 

Os cientistas sabem que boas respostas conduzem sempre a novas perguntas, abrindo novos horizontes à indagação, com o surgimento de novos projetos. Com o PGPF não foi diferente, levando os pesquisadores a estudar a história do que se descobrira. Surgiu, assim.

 

 

História do Português Brasileiro (PHPB)

 

O PHPB seguiu os mesmos passos do projeto anterior: recrutamento de bons linguistas, identificação de temas, seleção de perspectivas teóricas, exposição à crítica dos resultados parciais e, finalmente, consolidação dos resultados. 

 

O projeto conta hoje com pesquisadores distribuídos por várias equipes regionais: Alagoas, Bahia, Ceará, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraíba, Pará Oeste, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe. Também estimulou uma “convivência dos contrários”, abrigando sociolinguistas, gerativistas, funcionalistas e cognitivistas. 

 

A agenda compreendeu as seguintes atividades: organização do corpus diacrônico, história social, mudança gramatical, tradições discursivas, diacronia dos processos constitutivos do texto, história do léxico.

 

Nove seminários nacionais foram realizados para a discussão dos achados, todos publicados numa série própria.

 

O projeto completou 10 anos em 2007. Surgiu então a ideia de consolidar os resultados obtidos numa grande obra de referência, a História do Português Brasileiro, de que resultaram doze volumes, assinalando-se por um asterisco os já publicados:

 

*Vol. 1 - Ataliba T. de Castilho (Coord.) –O Português em seu contexto histórico. São Paulo: Editora Contexto. 

 

Vol. 2 - Ataliba T. de Castilho (Coord.) – Corpus diacrônico do Português Brasileiro. São Paulo: Editora Contexto. 

 

Vol. 3 – Dermeval da Hora, Elisa Battisti e Valéria de Oliveira Monaretto (Coords.) – Mudança fonológica do Português Brasileiro. São Paulo: Editora Contexto. 

 

* Vol. 4 – Célia Regina dos Santos Lopes (Coord.) – Mudança sintática das classes de palavras: perspectiva funcionalista. São Paulo: Editora Contexto / CNPq. 

 

Vol. 5 - Ataliba T. de Castilho (Coord.) – Mudança sintática das construções: perspectiva funcionalista. São Paulo: Editora Contexto. 

 

* Vol. 6 – Sonia M. L. Cyrino e Maria Aparecida C. R. Torres de Morais (Coords.) – Mudança sintática do Português Brasileiro: perspectiva gerativista. São Paulo: Editora Contexto / Fapesp. 

 

* Vol. 7 – Maria Lúcia C.V.O. Andrade e Valéria Gomes (Coords.) – Tradições discursivas do Português Brasileiro: constituição e mudança dos gêneros discursivos. São Paulo: Editora Contexto / Fapesp. 

 

Vol. 8 – Eduardo Penhavel e Marcos Rogério Cintra (Coords.) – Abordagem diacrônica dos processos de construção textual do Português Brasileiro. São Paulo: Editora Contexto. 

 

Vol. 9 – Dinah Callou e Tânia Lobo (Coords.) – História social do Português Brasileiro: da história social para a história linguística. São Paulo: Editora Contexto. 

 

Vol. 10 – Jânia Ramos e Marilza de Oliveira (Coords.) – História social do Português Brasileiro: da história linguística para a história social. São Paulo: Editora Contexto. 

 

Vol. 11 – Rodolfo Ilari e Renato Basso (Coords.) – Semântica diacrônica do Português Brasileiro. São Paulo: Editora Contexto. 

 

Vol. 12 – Vanderci Aguilera e Fabiane Cristina Albino (Coords.) – Léxico Histórico do Português Brasileiro. Versão eletrônica. São Paulo: Editora Contexto. 

 

 

O leitor encontrará nesta coleção uma apresentação moderna da história do Português Brasileiro, como resultado de vinte anos de atividades. Pesquisadores qualificados prepararam os capítulos dos volumes desta série, alargando consideravelmente os horizontes da Linguística Histórica no Brasil.

 

Tradicionalmente, os manuais de Linguística Histórica estudam a mudança fonológica, morfológica e sintática de uma língua natural. Alguns deles incluem a formação do Léxico. Esses manuais têm sido denominados “Gramática Histórica”. 

 

A opção dos autores desta coleção foi agregar novos campos de investigação para o conhecimento histórico do Português Brasileiro. Aqui, além da Gramática, foram considerados também o Discurso (no sentido de diacronia do texto e estudo das tradições discursivas), a Semântica diacrônica e o Léxico Histórico do Português Brasileiro. Dessa forma, os quatro sistemas que organizam uma língua natural foram aqui investigados: Gramática, Discurso, Léxico e Semântica. Nossos pesquisadores enfrentaram um desafio e tanto! 

 

Lendo os capítulos que compõem esta coleção, o leitor atento poderá concluir que uma nova geração de linguistas históricos apresenta aqui os resultados de suas pesquisas, tratando de novos temas, concorrendo para um conhecimento mais aprofundado da história do Português Brasileiro.

 

O propósito dos pesquisadores não se esgota nestas páginas. Eles se voltam também para você, leitor, convidando-o a identificar novos temas e a desenvolver novas abordagens, inspirando-se no que já se fez.

 

 

                                                                                                            Campinas, 2018.

 

 

 

 

**********************************

 

 

 

REVISTA LINGÜÍSTICA 

 

Volúmenes 1 al 21

Consulte aqui Lingüística 1 al 21

 

 

Se han incorporados los números 17 al 21 de Lingüística.

 

Hasta el volumen 21, la revista Lingüística fue editada en papel. 

Con la incorporación de estos volúmenes queda completa la digitalización de la revista.

 

 

 

 

**********************************

 

 

 

E-BOOK 

ALFAL

50 ANOS

 

CONTRIBUIÇÕES PARA OS ESTUDOS 

LINGUÍSICOS E FILOLÓGICOS

 

 

O XVII Congresso Internacional da ALFAL foi realizado na Universidade Federal da Paraíba - Brasil no período de 16 a 19 de julho de 2014. Muitas foram as atividades ao longo do congresso, entre elas cursos, conferências, sessões coordenadas, comunicações individuais e pôsteres, sem contar as reuniões dos 24 Projetos temáticos que constituem o ponto alto da ALFAL. 

 

Para celebrar os 50 anos da ALFAL, tomamos a iniciativa de reunir neste e-book um conjunto de trabalhos significativos para a área da Linguística, cuja seleção se deu a partir de uma avaliação criteriosa por pares, membros da própria associação. Assim, trazemos à comunidade acadêmica textos que contemplam as seguintes áreas: análise de estruturas linguísticas, dialectologia e sociolinguística, filologia e linguística histórica, letramento, linguística ameríndia, política linguística, psicolinguística e aquisição, texto e discurso.

 

Dermeval da Hora - Juliene Lopes R. Pedrosa - Rubens M. Lucena (Orgs.)

 

 

Vea el E-book en: Publicaciones de la ALFAL

 

 

 

**********************************

 

 

 

INFOLING - http://www.infoling.org


INFOLING es una lista de distribución, que ha creado un espacio electrónico de difusión global de información sobre lingüística hispánica para borrar las fronteras físicas entre la comunidad académica, científica y empresarial. INFOLING fue creado en 1996 y, en la actualidad, cuenta con 10.000 participantes, repartidos en 53 países.

 

Los objetivos fundamentales de INFOLING son los siguientes:
- potenciar la comunicación y el intercambio de información científica y técnica,
- impulsar la coordinación de entornos profesionales ubicados en distintos puntos geográficos y
- ofrecer un lugar de encuentro, información y coordinación para todas aquellas personas interesados en la temática de la lista.

 

INFOLING está abierto a todos aquellos que deseen compartir informaciones relacionadas con la lingüística hispánica, como p. ej., información sobre eventos científicos (congresos, simposios, coloquios, etc.), cursos, novedades bibliográficas, revistas especializadas, tesis doctorales, ofertas de trabajo, etc. Asimismo, INFOLING publica de forma regular reseñas sobre las obras más innovadores dentro de la lingüística hispánica.
- ¿Le interesaría recibir diariamente información global sobre lingüística hispánica?
- ¿Quiere conocer las últimas novedades bibliográficas o los eventos científicos que se están desarrollando en todo el mundo?
- ¿Le gustaría tener acceso inmediato a ofertas de trabajo de universidades o empresas?
- ¿Desea compartir sus novedades bibliográficas, eventos, ofertas de trabajo, etc., con una comunidad integrada por 10.000 especialistas repartidos en 53 países?  

 

Toda esta información y mucho más se distribuye gratuitamente por correo-e (http://infoling.org/suscripcion.php), Facebook http://facebook.com/infoling, Twitter http://twitter.com/infoling

 

 

**********************************

 

Páginas