Projeto 23 

 

Subsídios semiótico e semântico-sintático na aquisição da língua portuguesa por nativos e não nativos

 

Coordenadoras:

Darcilia Marindir Pinto Simões (UERJ/SELEPROT) - darciliasimoes@gmail.com

Madalena Teixeira (Instituto Politécnico de Santarém, Portugal) - madalena.dt@gmail.com

 

_____________________________________________________

 

 

RELATÓRIOS DAS ATIVIDADES FEITAS NO XVIII CONGRESSO

Bogotá, 24-28/7/17

 

 

Dos treze (13) trabalhos propostos e aprovados, apenas sete (07) foram apresentados. A ausência docente foi motivada pela falta de recursos financeiros para a participação no evento.

 

Assim sendo, reunimos os trabalhos em apenas uma sessão matinal (conforme tabela abaixo), tendo sido possível a realização de profícuo debate no último horário da sessão de comunicações em simpósio.

 

Contamos com a participação de duas estudiosas fixadas em Bogotá, as quais levantaram diversas e oportunas questões sobre os trabalhos apresentados.

 

O texto assinado por J. C. S. Azeredo foi lido pela coordenadora, uma vez que o autor não pode comparecer, mas enviou seu texto.

 

Dos trabalhos em questão resultará uma nova coletânea (conforme a publicada com os trabalhos do Congresso anterior, em João Pessoa). O volume receberá como título: AQUISIÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA POR NATIVOS E NÃO NATIVOS: subsídios semióticos e semânticos; sua publicação estará prevista para março, 2018.

 

O Coordenador Paulo Osório apresentou um pôster, intitulado “Cronologia da Síncope de -d- na História do Português”, cujo texto-base também integrará a coletânea mencionada.

 

09h - 9h15

Ruído que move o enredo: o equívoco semântico como tema.

José Carlos Santos de Azeredo (UERJ; CNPq) - jc.azeredo@terra.com.br

 

9h15 - 9h30

A multimodalidade e as competências para leitura e escrita. As novas tecnologias como ferramentas de ensino e aprendizagem.

Darcilia Simões (UERJ /SELEPROT) - darciliasimoes@gmail.com

Claudio Artur O. Rei (UNESASELEPROT) - arturrei@uol.com.br

 

9h30 - 9h45

Fundamentos para uma possível semiologia dos quadrinhos: teorias e práticas.

Maria Teresa Gonçalves Pereira (UERJ) - mtgpereira@yahoo.com.br

 

9h45 - 10h

Regência verbal: normas e usos no ensino da língua portuguesa.

Tania Maria Nunes de Lima Camara UERJ - taniamnlc@gmail.com

Denise Salim Santos UERJ - d.salim@globo.com

 

10h - 10h15

Ensino das línguas na congruência textual e visual.

Maria Suzett Biembengut Santade (FIMI, FMPFM/SELEPROT) - suzett.santade@gmail.com

Darcilia Simões (UERJ/SELEPROT) - darciliasimoes@gmail.com

 

10h15 - 10h30

A primazia da palavra no espaço chargístico: uma contribuição para o ensino da língua portuguesa.

André Crim Valente (UERJ/SELEPROT) prof.acvalente@gmail.com

 

10h30 - 10h45

A tríade semiótica e sua contribuição na interpretação do texto literário: as contradições no romance Vidas Secas.

Márcia da Gama Silva Felipe (UERJ/SELEPROT) - prof.marciadagama@gmail.com

 

10h45 - 12h

DEBATE

 

 

Como a ausência de comunicadores se deu por motivo alheio às suas vontades, pois o Brasil atravessa grave crise político-econômica, aqueles serão convidados a mandar seus textos para a publicação em conjunto.

 

Eis a relação de trabalhos não apresentados no Congresso:

 

O mau aproveitamento das propagandas nos livros didáticos de língua portuguesa.

Claudio Artur O. Rei (UNESA) - arturrei@uol.com.br

 

Ensino de língua portuguesa: um olhar para o labirinto textual.

Eleone Ferraz de Assis (UEG/SELEPROT) - leo.seleprot@gmail.com

 

Dai a césar o que a ele pertence: restabelecendo o lugar da gramática em sala de aula.

Maria Célia Lima-Hernandes (USP/CNPq/FAPESP) - mceliah@usp.br

 

O funcionalismo linguístico e sua contribuição para a ampliação da competência de leitura e de produção de textos em língua portuguesa.

Vania L. R. Dutra (UFF/ UERJ/SELEPROT) - vaniardutra@hotmail.com

Magda Bahia Schlee (UERJ/SELEPROT) - magdabahia@globo.com

 

A diversidade cultural e o ensino da língua.

Aira Suzana Ribeiro Martins (CPII/ SELEPROT; LITESCOLA) - airasuzana.ribeiromartins@gmail.com

 

Repensando a capacitação de docentes para as aulas de leitura e produção textual.

Ana Cristina dos Santos Malfacini (UERJ/SELEPROT/UniFOA) - anamalfacini@hotmail.com

 

 

Sem mais para o momento, concluo o relatório das atividades no XVIII Congresso da ALFAL, reafirmando a continuidade do projeto e sua futura participação no próximo evento.

 

Rio de Janeiro, 11 de agosto de 2017.

 

Darcilia Simões e Paulo Osório.

 

_____________________________________________________

 

 

XVIII CONGRESSO INTERNACIONAL DA ALFAL

Universidad Nacional de Colombia

Bogotá D.C. - Colômbia

24-28 de julho de 2017

 

 

Convocatória para submissões de comunicação

 

PESQUISADORA CONVIDADA para a reunião no XVIII Congresso Internacional da ALFAL: Maria João Marçalo (Universidade de Évora)

 

Os interessados em participar com comunicação neste projeto deverão enviar os resumos para darciliasimoes@gmail.com e pjtrso@ubi.pt até ao dia 10 de dezembro de 2016.

Os resultados serão comunicados até ao dia 15 de dezembro de 2016. Aceitar-se-á participação de pesquisadores doutores ou doutorandos, tendo prioridade os membros do Grupo de Pesquisa Semiótica, Leitura e Produção de Textos - SELEPROT. Limite de 20 participantes.

 

TEMAS: variação linguística, ensino, normas e usos; subsídio semiótico e seleção vocabular; suporte semântico-sintático na estruturação linguística; dificuldades na aquisição lexical por nativos e não nativos; aquisição de língua materna e não materna.

 

TEORIAS PRINCIPAIS: Iconicidade. Psicolinguística. Funcionalismo sistêmico.

 

 

____________________________________________________

 

 

METAS

 

a) Reunir trabalhos que discutam o ensino da língua portuguesa como L1 e L2;

 

b) Criar parcerias de estudos e pesquisas sobre leitura e produção de textos, com foco nas perspectivas semiótica e semântico-sintática para L1 e L2;

 

c) Organizar publicação de uma coleção voltada para a orientação técnico-pedagógica da prática de ensino da língua portuguesa como L1 e L2.

 

 

TEMAS: variação linguística, ensino, normas e usos; subsídio semiótico e seleção vocabular; suporte semântico-sintático na estruturação linguística; dificuldades na aquisição lexical por nativos e não nativos; aquisição de língua materna e não materna.

 

TEORIAS PRINCIPAIS: Iconicidade. Psicolinguística. Funcionalismo sistêmico.

 

EMENTA: A variação linguística e a relevância do ensino da norma culta (ou padrão). Reflexo do domínio (ou não) da norma na competência de leitura e de produção textual. A importância dos projetos de pesquisa para o aperfeiçoamento da prática pedagógica de língua portuguesa.

 

CRITÉRIO DE PARTICIPAÇÃO: Aceitar-se-á participação de pesquisadores doutores ou doutorandos, tendo prioridade os membros do Grupo de Pesquisa Semiótica, Leitura e Produção de Textos - SELEPROT.

 

 

·           Limite de 20 participantes.

 

 

AGENDA DE TRABALHO

 

Atividades

Carga horaria (h)

Apresentação sucinta do projeto

1

Explanação dos princípios teóricos que subsidiam a pesquisa

1

Discussão das interfaces teóricas

1

Apresentação das pesquisas individuais relacionadas ao projeto

6

Discussão das aplicações práticas relatadas

1

Proposição de ajustes ao projeto das pesquisas quanto às aplicações teóricas e práticas

1

Elaboração do projeto de publicação de uma coleção voltada para a orientação técnico-pedagógica da prática de ensino da língua portuguesa como L1 e L2

1

Produção da ata com agenda de continuidade ou conclusão do projeto

1

 

13

 

 

 

_______________________________________________________________________

 

 

 Relatório de Atividades no Congresso da ALFAL - UFPB - 2014

 

Coordenação:

Darcilia Marindir Pinto Simões (UERJ/CNPq/Faperj/SELEPROT)

Vania Lucia Rodrigues Dutra (Coluni-UFF/UERJ)

 

Veja aqui o relatório

(versão pdf)

 

_____________________________________________________

 

 

XVII CONGRESO INTERNACIONAL ASOCIACIÓN DE LINGÜÍSTICA Y FILOLOGÍA DE AMÉRICA LATINA

ALFAL

 

Projeto 23 - PRODUÇÃO DO TEXTO EM PERSPECTIVA LEXICOGRAMATICAL: A QUESTÃO DA SELEÇÃO VOCABULAR

 

Coordenadoras:

·         Darcilia Marindir Pinto Simões (UERJ/Faperj/SELEPROT)

·         Vania Lucia Rodrigues Dutra (Coluni-UFF/UERJ)

Pesquisador convidado: Paulo Osório (UBI – Portugal)

 

 

PROGRAMA e RESUMOS

 

            Total de Trabalhos: 00010

 

 

dia 16

 

14-15h40

 

14:00

 

 

Maria Teresa Tedesco Vilardo Abreu

Os níveis de letramento na produção escrita de estudantes do nível básico no Rio de Janeiro.

 

14:25

 

 

Adilson Ribeiro de Oliveira, Dulce Maria Lopes de Aguiar

Leitura e escrita: abordagens para o ensino e a pesquisa.

 

14:50

 

 

Carla Macpherson Garcia de Paiva

Boate Kiss: argumentações em torno da dor.

 

14:15

 

 

Vania Lúcia Rodrigues Dutra, Magda Bahia Schlee

Estrutura da informação e progressão temática em textos narrativos e argumentativos.

 

 

16h-19h

 

16:00

 

 

Eleone Ferraz De Assis

A incongruência lexical em fenômenos insólitos: uma análise do romance Sombras de Reis Barbudos, de José J. Veiga.

 

16:30

 

 

Morgana Ribeiro dos Santos

Perspectivas da literatura de cordel no ensino fundamental: poesia popular nordestina nos livros didáticos.

 

17:00

 

 

Maria Suzett Biembengut Santade

Do texto espontâneo ao texto formal nas aulas do ensino superior.

 

17:30

 

 

Darcilia Marindir Pinto Simões, Claudio Artur de Oliveira Rei, Maria Teresa Gonçalves Pereira, Eleone Ferraz de Assis

Desenvolvimento da competência expressional a partir do léxico: uma abordagem icônico-funcional.

 

18:00

 

XXXXXXXXXX

 

18:30

 

XXXXXXXXXX

 

dia 17

 

14-15h40

 

XXXXXXXXXX

 

dia 18

 

14-15h40

 

XXXXXXXXXX

 

 

16h-19h

 

XXXXXXXXXX

 

dia 19

 

10-12h

 

XXXXXXXXXX

 

RESUMOS

A INCONGRUÊNCIA LEXICAL EM FENÔMENOS INSÓLITOS: UMA ANÁLISE DO ROMANCE SOMBRAS DE REIS BARBUDOS, DE JOSÉ J. VEIGA

ELEONE FERRAZ DE ASSIS
1 UERJ - Universidade do Estado do Rio de Janeiro
leo.seleprot@gmail.com

Resumo

Este estudo dedica-se a compreender a tessitura textual dos fenômenos insólitos no romance Sombras de Reis Barbudos, de José J. Veiga, com base na associação entre a Teoria da Iconicidade Verbal e a Linguística de Córpus. Centra-se, especificamente, nas marcas linguísticas que representam ideias ou conduzem o intérprete à percepção de que o insólito é construído no texto por meio de pistas icônicas. Merecem especial interesse, sobretudo, os substantivos, que, por serem palavras com alta iconicidade, participam da construção/representação de fenômenos insólitos e criam, por meio da trilha léxica, o itinerário de leitura para o texto-córpus. Para que os resultados fossem significativos, apoiou-se nos recursos digitais da Linguística de Córpus (SARDINHA, 2004; 2009), que possibilitaram realizar uma pesquisa baseada em um córpus. A utilização da Linguística de Córpus como metodologia permitiu levantar, quantificar e tabular os signos que corroboram com a compreensão da incongruência e da iconicidade lexical dos eventos insólitos em um texto literário, identificando os substantivos-nódulos e seus colocados para avaliá-los quanto à incompatibilidade das escolhas lexicais realizadas por José J. Veiga em relação às estruturas léxico-gramaticais da Língua Portuguesa. O estudo demonstra que a incongruência e a iconicidade lexical são delineadas a partir da seleção vocabular a que tem acesso por meio da Linguística de Córpus. A análise comprova que os substantivos, como categorias linguísticas caracterizáveis semanticamente, têm a função designatória ou de nomeação na arquitetura de um texto insólito. Revela também que a incongruência lexical constitui-se em uma chave para a construção do ilógico, mágico, fantástico, misterioso, sobrenatural, irreal e suprarreal no texto-córpus.

 

OS NÍVEIS DE LETRAMENTO NA PRODUÇÃO ESCRITA DE ESTUDANTES DO NÍVEL BÁSICO NO RIO DE JANEIRO.

MARIA TERESA TEDESCO VILARDO ABREU
1 UERJ - UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
teresatedesco@uol.com.br

Resumo

Este estudo tem como objetivo fazer esquadrinhamento acerca da produção escrita de estudantes de ensino fundamental, matriculados em unidades escolares da rede municipal do Rio de janeiro, considerando os diferentes anos de escolaridade, respectivamente do primeiro ao quinto ano que correspondem à primeira fase da escolarização básica. Propôs-se o levantamento de regularidade dos recursos linguísticos e discursivos existentes nos textos, especificamente, a retomada dos Sns, que conduzem a progressão referencial do texto, a fim de verificar a) os diferentes estágios de proficiências dos estudantes nos diferentes anos de escolaridade; b) as regularidades discursivas existentes nos textos; c) as diferenças desses usos; d) propor uma escala de proficiência de escrita, partindo das expressões referenciais tópicas da produção textual. Espera-se reconhecer os diferentes recursos utilizados pelo leitor/ escritor dos anos iniciais de escolaridade, demonstrando os níveis de letramento em cada um dos processos indicados- leitura e escrita. Há uma forte tendência a se acreditar que estes recursos estejam no repertório do leitor em cada nível de desenvolvimento, não devendo ser considerados, simplesmente, uma relação hierárquica sequencial a ser desenvolvida ao longo da escolarização. Isto significa dizer que, em todos os níveis de ensino, tais processos devem ser desenvolvidos, estimulados, metodologicamente, ampliando o repertório de conhecimento do leitor. Na verdade, estes processos devem ser desenvolvidos como estratégias para o ensino de leitura e escrita, considerando a abordagem textual, o que levará o leitor, efetivamente, a ser leitor/ escritor. A hipótese que norteia essa pesquisa é que a complexidade cognitiva não está no desenvolvimento de cada processo em cada série ou ciclo de escolarização, por exemplo. Não se trata de conteúdos de (processamento) de leitura e escrita a serem desenvolvidos, mas processos de leitura, que desenvolvidos, levam à proficiência em leitura e em escrita, ao letramento em leitura e em escrita.

 

LEITURA E ESCRITA: ABORDAGENS PARA O ENSINO E A PESQUISA

ADILSON RIBEIRO DE OLIVEIRA, DULCE MARIA LOPES DE AGUIAR
1 GEALI - Grupo de Estudos sobre Ensino e Aprendizagem de Língua Portuguesa, 2 IFMG - Campus Ouro Preto - Instituto Federal Minas Gerais
adilson.ribeiro@ifmg.edu.br

Resumo

Esta comunicação tem por objetivo socializar as atividades desenvolvidas pelo Geali (Grupo de Estudos sobre Ensino e Aprendizagem de Língua Portuguesa e Literatura) do Instituto Federal Minas Gerais (IFMG – Campus Ouro Preto), bem como promover a troca de experiências e permitir a articulação entre abordagens do ensino e da pesquisa relacionadas à leitura e produção escrita, em diversos níveis de ensino, em diferentes perspectivas. Nesse quadro, pretende-se apresentar pesquisas concluídas e/ou em desenvolvimento que contemplam aspectos que perpassam desde a microestrutura textual em produções escritas de alunos do ensino médio e/ou superior – tais como a acentuação, a ortografia e o emprego de preposições – até outros relacionados ao ensino de língua portuguesa para alunos surdos. Tendo por base abordagens que se pautam em entendimento da língua e da linguagem como ação cognitiva e social, procurar-se-á evidenciar aspectos que se mostram relevantes tanto para o ensino quanto para a pesquisa em língua portuguesa. Nesse sentido, com o intuito de elucidar a perspectiva adotada, serão priorizadas as apresentações resumidas de projetos que se inserem no escopo das atividades do Geali e que foram/estão sendo desenvolvidos a partir do seu objetivo mais amplo. Deseja-se, por fim, que esta ação possibilite reflexões/parcerias que (re)dimensionem e/ou fortaleçam as iniciativas até então empreendidas pelo grupo. Palavras-chave: Ensino; Pesquisa; Língua Portuguesa

 

BOATE KISS: ARGUMENTAÇÕES EM TORNO DA DOR

CARLA MACPHERSON GARCIA DE PAIVA
1 UERJ - Universidade Estadual do Rio de Janeiro
cmgpaiva@yahoo.com.br

Resumo

Este trabalho apresenta uma análise de quatro textos – um editorial, um artigo de opinião e duas crônicas - em torno de um mesmo tema: o incêndio que vitimou 242 jovens em janeiro de 2013, em Santa Maria/RS. O trágico evento mobilizou emoções, provocou protestos e produziu opiniões de diversos setores da sociedade brasileira, revelando a dimensão nacional da dor. Os textos produzidos a partir dessa associação entre evento e reações são fruto de tarefa individual cujo produto circulará em ambiente coletivo, revelando as intenções discursivas que lhe deram origem. Nesses discursos, estão os valores, os sentimentos e as experiências usados pelo produtor do texto para persuadir ou convencer seu leitor a aderir às suas ideias. O principal objetivo deste estudo é investigar a interação entre o contexto e a lexicogramática que envolvem tais textos, focalizando-se especialmente os recursos empregados na construção da argumentação, com base nos fundamentos do Funcionalismo Linguístico, da Semântica Argumentativa e da Linguística Textual, a fim de verificar as escolhas predominantes de cada autor para falar da dor que atingiu todo o Brasil. Palavras-chave: Língua Portuguesa, leitura, recursos argumentativos.

 

ESTRUTURA DA INFORMAÇÃO E PROGRESSÃO TEMÁTICA EM TEXTOS NARRATIVOS E ARGUMENTATIVOS

VANIA LÚCIA RODRIGUES DUTRA, MAGDA BAHIA SCHLEE
2 UERJ - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 3 UFF - Universidade Federal Fluminense
vaniardutra@uol.com.br

Resumo

Com base nos estudos de Halliday (2004), construímos significados, por meio da língua, a partir de três metafunções da linguagem que se complementam: Metafunção Ideacional, Metafunção Interpessoal e Metafunção Textual. A primeira trata da representação do mundo; a segunda, do relacionamento entre os interlocutores; a terceira, da organização da mensagem. Este trabalho terá como foco a terceira metafunção (Textual), que organiza os significados ideacionais ou experienciais e os significados interpessoais para que formem um todo coerente, ou seja, um texto. Nosso objetivo é, como resultado de levantamento em corpus específico, demonstrar a organização temática dos textos a partir da Gramática Sistêmico-Funcional, no que diz respeito à Metafunção Textual da linguagem. A organização temática das orações revela como o autor efetua a ligação entre informações para organizar sua mensagem. Assim, segundo Fuzer (2010), os temas das orações que constituem um texto auxiliam sobremaneira no processo de construção textual e, com base na análise dos tipos de progressão temática mais frequentes (padrão com tema constante, padrão linear e subdivisão do rema), demonstraremos de que forma a organização temática contribuiu para a construção do sentido em textos de base narrativa e em textos de base argumentativa. O foco do trabalho é, assim, descrever como esses textos se desenvolvem, o que sua estrutura de informação revela, o que os autores procuram destacar, em função de suas intenções comunicativas, comprovando que a estrutura organizacional e as escolhas gramaticais são estrategicamente diferentes, atendendo a uma prerrogativa das línguas: a gramática também significa. Acreditamos ser este um dos caminhos para instrumentalizar o professor na difícil tarefa de fazer de seus alunos leitores e produtores de textos proficientes. FUZER, C. Contexto e léxico-gramática em interação: análise de uma sentença condenatória. Revista Letras, Santa Maria, v. 20, n. 40, p. 113–132, jan./jun. 2010. HALLIDAY, M.; MATTHIESSEN, C. An introduction to functional grammar. 3th. ed. London: Arnold, 2004. 

 

DESENVOLVIMENTO DA COMPETÊNCIA EXPRESSIONAL A PARTIR DO LÊXICO: UMA ABORDAGEM ICÔNICO - FUNCIONAL

MARIA TERESA GONÇALVES PEREIRA
1 UERJ - UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
mtgpereira@yahoo.com.br

Resumo

Problema: Estudantes com curto repertório verbal. Linhas de pesquisa: Aquisição lexical: seleção lexical segundo a iconicidade verbal e a lexicogramática: abordagem linguístico-pedagógica de problemas e estratégias de aquisição/desenvolvimento da competência expressional verbal considerando as metas comunicativas e o contexto de interlocução. O papel da escola na instrução linguística e a orientação sobre a indispensável harmonização entre itens léxicos e tema do texto. Discussão de questões relativas à ativação de itens lexicais na produção dos gêneros literários e não literários. A importância das opções estilísticas decorrentes do gênero textual eleito. Relações entre escolhas léxicas e proposta temática; isotopias possíveis em textos literários e recorte temático em textos informativos. A importância da perspectiva paradigmática e de sua relação com o projeto de texto. As metafunções ideacional, interpessoal e textual com destaque para a última. Organização dos enunciados com escolhas orientadas pela perspectiva do gênero e da variedade linguística. A interpretação e o contexto: significado (valores semânticos) e sentido (valores pragmáticos). Metodologia: Qualitativa Córpus: textos literários e não literários (incluindo textos discentes). Base teórica: HALLIDAY, M. A. K.; YALLOP, Collin. Lexicology. A Short Introduction. London: Continuum. 2007; MATTHIESSEN, C. M. I. M. Construing Experience Through Meaning. A Language-Based Approach to Cognition.London: Continuum. 2006. [p. 1 – 47]; SIMÕES, Darcilia. “Contribuições para Desenvolvimento do Domínio Lexical”. In Acta Semiotica et Linguística, v. 15, p. 101-116, 2010; ______. “Palavras: Fios do Texto”. In Acta Semiótica et Linguística, v. 13, p. 79-92, 2008; ______. Iconicidade verbal. Teoria e Prática. Edição online. Rio de Janeiro: Dialogarts, 2009; ______ & REI, Claudio Artur O. Estilística: Uma Nova Proposta para o Ensino. [no prelo].

 

DESENVOLVIMENTO DA COMPETÊNCIA EXPRESSIONAL A PARTIR DO LÊXICO: UMA ABORDAGEM ICÔNICO - FUNCIONAL

 

Resumo

 

PERSPECTIVAS DA LITERATURA DE CORDEL NO ENSINO FUNDAMENTAL: POESIA POPULAR NORDESTINA NOS LIVROS DIDÁTICOS

MORGANA RIBEIRO DOS SANTOS
1 UERJ - UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
morgribeiro@bol.com.br

Resumo

Este trabalho tem como objetivo apresentar o projeto de pesquisa de doutorado intitulado Perspectivas da literatura de cordel no ensino fundamental: poesia popular nordestina nos livros didáticos em desenvolvimento na Universidade do Estado do Rio de Janeiro. O projeto se destina a um estudo da literatura de cordel, suas origens, seus fundamentos, suas características, a riqueza de sua linguagem, a beleza de suas histórias, sua importância no contexto da literatura e da cultura brasileira, por meio de pesquisa bibliográfica. Propõe-se investigar o tratamento dado à poesia popular nordestina nas práticas pedagógicas, no ensino fundamental, especialmente no suporte livro didático. Por fim, pretende-se contribuir para a valorização da literatura de cordel no contexto escolar, oferecendo subsídios ao trabalho do professor, por meio do estudo dos recursos linguísticos que compõem e embelezam a poesia popular à luz da estilística semiótico-funcional e da semântica.

 

DESENVOLVIMENTO DA COMPETÊNCIA EXPRESSIONAL A PARTIR DO LÉXICO: UMA ABORDAGEM ICÔNICO-FUNCIONAL

DARCILIA MARINDIR PINTO SIMÕES, CLAUDIO ARTUR DE OLIVEIRA REI, MARIA TERESA GONÇALVES PEREIRA, ELEONE FERRAZ DE ASSIS
1 UERJ - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2 UNESA - UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ, 3 FAPERJ - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro, 4 CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
darciliasimoes@gmail.com

Resumo

Título: DESENVOLVIMENTO DA COMPETÊNCIA EXPRESSIONAL A PARTIR DO LÉXICO: UMA ABORDAGEM ICÔNICO-FUNCIONAL RESUMO: Problema: Estudantes com curto repertório verbal. Linhas de pesquisa: Aquisição lexical: seleção lexical segundo a iconicidade verbal e a lexicogramática: abordagem linguístico-pedagógica de problemas e estratégias de aquisição/desenvolvimento da competência expressional verbal considerando as metas comunicativas e o contexto de interlocução. O papel da escola na instrução linguística e a orientação sobre a indispensável harmonização entre itens léxicos e tema do texto. Discussão de questões relativas à ativação de itens lexicais na produção dos gêneros literários e não literários. A importância das opções estilísticas decorrentes do gênero textual eleito. Relações entre escolhas léxicas e proposta temática; isotopias possíveis em textos literários e recorte temático em textos informativos. A importância da perspectiva paradigmática e de sua relação com o projeto de texto. As metafunções ideacional, interpessoal e textual com destaque para a última. Organização dos enunciados com escolhas orientadas pela perspectiva do gênero e da variedade linguística. A interpretação e o contexto: significado (valores semânticos) e sentido (valores pragmáticos). Metodologia: Qualitativa Córpus: textos literários e não literários (incluindo textos discentes). Base teórica: HALLIDAY, M. A. K.; YALLOP, Collin. Lexicology. A Short Introduction. London: Continuum. 2007; ______; MATTHIESSEN, C. M. I. M. Construing Experience Through Meaning. A Language-Based Approach to Cognition. London: Continuum. 2006. [p. 1 – 47]; SIMÕES, Darcilia. “Contribuições para Desenvolvimento do Domínio Lexical”. In Acta Semiotica et Linguística, v. 15, p. 101-116, 2010; ______. “Palavras: Fios do Texto”. In Acta Semiótica et Linguística, v. 13, p. 79-92, 2008; ______. Iconicidade verbal. Teoria e Prática. Edição online. Rio de Janeiro: Dialogarts, 2009; ______ & REI, Claudio Artur O. Estilística: Uma Nova Proposta para o Ensino. [no prelo].

 

DO TEXTO ESPONTÂNEO AO TEXTO FORMAL NAS AULAS DO ENSINO SUPERIOR

MARIA SUZETT BIEMBENGUT SANTADE
1 FIMI - FACULDADES INTEGRADAS MARIA IMACULADA, 2 FMPFM - FACULDADE MUNICIPAL PROFESSOR FRANCO MONTORO, 3 UERJ - UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
suzett.santade@terra.com.br

Resumo

Como os processos seletivos são classificatórios com a nota de corte de acordo com o número de vagas de cada curso, os alunos chegam ao ensino superior com fraco conhecimento linguístico sem as bases mínimas de produção textual de cunho literário e acadêmico. Este trabalho propõe apresentar as etapas do ensino de redação e de produção de texto a alunos ingressantes do ensino superior de cursos diversos da instituição de uma cidade do interior do estado de São Paulo. Para tanto, nas bases metodológicas, buscam-se, a princípio, textos introdutórios e conceituais de cada curso para que os alunos possam entender a fundamentação da área escolhida do ensino superior. Como os cursos apresentam na grade curricular somente dois ciclos semestrais da disciplina Comunicação e Expressão com uma carga-horária restrita, seguem-se quatro etapas de construção textual, assim: (i) temática e estrutura; (ii) coesão e coerência textuais; (iii) vocabulário e nova ortografia; (iv) aplicações gramaticais. Os resultados positivos têm sido demonstrados em sala de aula com as produções orais e escritas apresentadas nos semestres pelos alunos no aprimoramento da linguagem objetiva em texto científico de modo geral. Usam-se a multimídia e os recursos tecnológicos comuns na produção dos trabalhos em laboratório de informática e, ainda, busca-se a preparação dos textos sempre integrada à postura oral do alunado para a apresentação em evento acadêmico-científico interno e externo. Palavras-chave: linguagem formal; produção textual; gramática.