Projeto 21

 

Estudo comparado dos padrões de concordância em variedades

africanas, brasileiras e europeias do português

 

Coordenadoras:

Silvia Rodrigues Vieira (UFRJ) - silviavieira@hotmail.com

Silvia Figueiredo Brandão (URFJ) - silvia.brandao@terra.com.br

 

____________________________________________________

 

RELATÓRIOS DAS ATIVIDADES FEITAS NO XVIII CONGRESSO

Bogotá, 24-28/7/17

 

 

1. Considerações gerais

 

O Encontro do Projeto 21 da ALFAL durante o XVIII Congresso Internacional em Bogotá funcionou efetivamente como um grupo de trabalho e intercâmbio entre pesquisadores do fenômeno da concordância em variedades do Português, o que foi avaliado muito positivamente por seus integrantes.

 

Participaram do Encontro assiduamente nove pesquisadores*, sendo quase todos pertencentes ao Grupo desde sua primeira edição, em 2011, o que nos permitiu (i) avaliar os avanços das pesquisas realizadas pelos integrantes nos dois triênios anteriores; (ii) debater questões sobre subtemas previamente definidos, fundamentais para a abordagem contrastiva de resultados; e (ii) estabelecer os desafios a serem perseguidos no próximo triênio.

* Silvia Rodrigues Vieira; Silvia Figueiredo Brandão; Lívia Oushiro; Alexandre Monte; Isabel de Oliveira e Silva Monguilhott, Silvana Silva de Farias Araújo; Laura Alvarez López, Karen Cristina da Silva Pissurno; Lucimar Bizio

 

A seguir, destacam-se os principais aspectos trabalhados nas três referidas frentes de trabalho.

 

 

2. Avaliação dos avanços do Projeto ALFAL – 2011-2016

 

Em linhas gerais, salientou-se que, não obstante as dificuldades naturais decorrentes da distância entre as instituições envolvidas, foi evidente o êxito dos trabalhos desenvolvidos pelo Grupo 21 no período em questão. Destacaram-se os seguintes aspectos positivos quanto aos empreendimentos anteriores do Projeto:

 

a)    a participação constante de um grupo de pesquisadores, desde a primeira edição, em 2011;

b)   a parceria no desenvolvimento de análises do fenômeno da concordância, buscando a pluralidade teórico-descritiva necessária ao tratamento do tema;

c)    a busca de formação integrada, pelo compartilhamento de referências bibliográficas e pela oportunidade de fazer cursos sobre a concordância ou temas afins (Cf. participação especial da Professora Perpétua Gonçalves, da Universidade Eduardo Mondlane/Moçambique, no evento em João Pessoa);

d)   a realização de um Encontro intermediário na Universidade Federal do Rio de Janeiro, em 2012;

e)    a publicação de número específico dos Cadernos da ALFAL, em 2015, o primeiro em Língua Portuguesa, integralmente dedicado aos trabalhos produzidos no âmbito do Projeto 21,; e

f)    a busca constante por avanços no tratamento do tema, de modo a efetivamente contribuir com o conhecimento científico acerca do estatuto das variedades do Português.

 

 

3. Debate de questões relativas a subtemas abordados nas pesquisas do grupo

 

A dinâmica adotada para o encontro foi a do debate de questões a partir dos trabalhos inscritos no evento. Seguem as perguntas que nortearam as discussões, considerando cada sessão do evento.

 

25/7/2017 (8h-12h)

 

i.  Concordância verbal de 3ª pessoa do plural: critérios para a coleta de dados e definição de variáveis e seus fatores para trabalho conjunto.

[Silvia Rodrigues Vieira; Alexandre Monte; Isabel de Oliveira e Silva Monguilhott, Silvana Silva de Farias Araújo]

 

a)    Que dados não coletar para fins de quantificação (porque não configurariam efetivos casos de concordância de 3ª p. pl.)?

b)   Para fins de análise contrastiva e caracterização de variedades do Português, que estruturas permitem comparar os padrões de concordância em questão? Todas? Apenas sujeitos antepostos? Etc.

c)    Como tratar o verbo ser em suas diversas construções? No conjunto de dados? Separadamente? A quais estruturas com verbo ser não poderia ser atribuída a “falta de concordância”?

d)   Em que medida as realizações fonéticas das desinências verbais afetam os resultados da concordância? Como tratar essas realizações na variável saliência fônica?

 

 

26/7/2017 (8h-12h)

ii.    Concordância nominal: critérios para a coleta de dados e definição de variáveis e seus fatores para trabalho conjunto.

[Silvia Figueiredo Brandão; Lívia Oushiro]

 

a)    Que dados não coletar para fins de quantificação (porque não configurariam efetivos casos de concordância nominal)?

b)   Para fins de análise contrastiva e caracterização de variedades do Português, que estruturas permitem comparar os padrões de concordância em questão? Todas? Apenas formas a partir do segundo elemento do SN?

c)    Pode-se falar em dados de concordância tanto na análise atomística quanto na não atomística?

d)   Em que medida as realizações fonéticas das formas nominais afetam os resultados da concordância? Como tratar essas realizações na variável saliência fônica?

e)    Que aspectos podem ser adotados para inovar na abordagem do tema da concordância, representando efetivos avanços?

 

iii.  Critérios para o estudo de variedades africanas do Português como L1 e/ou L2.

 [Silvia Figueiredo Brandão; Silvia Rodrigues Vieira; Silvana Silva de Farias Araújo; Laura Alvarez López, Karen Cristina da Silva Pissurno]

 

a)    Em que medida se pode utilizar a estratificação social clássica para estudos de variedades africanas do Português?

b)   Que variáveis sociais efetivamente interessam à investigação de variedades africanas?

c)    Em que medida e segundo que pressupostos se aplicaria a hipótese de um continuum afrobrasileiro na constituição de variedades do Português?

 

 

4. Planejamento de atividades: próximo triênio

 

Com base no produtivo debate das questões elencadas na seção anterior, o grupo reuniu-se, no dia 27/7/2017, para planejar as atividades para o próximo triênio. O planejamento foi feito em relação aos seguintes itens:

 

Temas para investigação

 

No que se refere aos temas que precisam receber um investimento especial para avançarmos no conhecimento dos padrões de concordância em variedades do Português, definiram-se os seguintes: a) produção dos padrões de concordância: abordagem contrastiva de resultados com base nas conclusões dos debates durante o evento em Bogotá; b) percepção dos padrões de concordância pelas diversas comunidades de fala: estudos de avaliação, crenças e atitudes; e c) descrição dos padrões de concordância em situações de contato interlinguístico, dentre as quais se destacam as referentes às variedades africanas do Português.

 

i.      Intercâmbio com pesquisadores de diversas instituições

Foram tomadas as seguintes medidas para ampliar a participação de outros pesquisadores e universidades, além das que já se encontram no grupo: (a) listar pesquisadores de diversas instituições (América Latina, Europa e África), os quais se interessam pelos subtemas definidos em 4.i., a fim de travarmos contato durante o próximo triênio; e (b) integrar os pós-graduandos orientados pela equipe.

 

ii.    Realização de encontro intermediário - ALFALito

Ainda de forma preliminar, estimou-se a realização de um encontro intermediário possivelmente no início de 2019, no período anterior ou posterior ao evento da ABRALIN, a fim de facilitar as viagens dos integrantes do grupo. No fim de setembro de 2018, serão apresentadas as propostas para os trabalhos a serem debatidos no referido encontro.

 

iii.   Planejamento de nova publicação do Projeto 21

Durante o ano de 2019, serão produzidos os artigos para a segunda publicação do Projeto 21, que deverá ocorrer no máximo em 2020 e que pode vir a configurar um novo número dos Cadernos da ALFAL.

 

 

5. Considerações finais

 

Espera-se que este breve relato das atividades realizadas pelo Projeto 21 durante o XVIII Congresso Internacional da ALFAL, em Bogotá, tenha demonstrado a vitalidade dos trabalhos realizados e da interação entre os pesquisadores envolvidos.

 

Com base nas medidas adotadas para o próximo triênio, espera-se dar continuidade à dinâmica de um efetivo grupo de trabalho, evitando, assim, que o espaço destinado ao Projeto 21 se transforme em mera sessão de trabalhos em congressos, o que contrariaria não só a proposta inicial da ALFAL, mas também a razão pela qual o Projeto se constituiu, perseguindo o objetivo central de fazer o intercâmbio entre pesquisadores de diversas instituições, com seus variados perfis em termos teórico-metodológicos.

 

A coordenação do Projeto reafirma seu compromisso em fazer desse grupo de trabalho um espaço efetivo de debate sobre a concordância em variedades do Português, com o desenvolvimento de pesquisas comparativas de dados africanos, brasileiros e europeus, buscando colaborar sempre mais com o avanço no conhecimento científico acerca dos temas e subtemas em questão e a da definição do estatuto das variedades em análise.

 

 ____________________________________________________

 

XVIII CONGRESO INTERNACIONAL ALFAL

Bogotá D.C. - Colombia

Universidad Nacional de Colombia,

24-28 de julio de 2017

 

ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS DURANTE O XVIII CONGRESSO INTERNACIONAL DA ALFAL

 

A participação nas sessões de trabalho do Simpósio será restrita aos pesquisadores que já integram a equipe, de modo que sejam discutidas algumas questões que ficaram pendentes e, finalmente, seja viabilizado um trabalho conjunto.

 

Pesquisadores que tenham interesse em integrar o projeto são bem-vindos na qualidade de ouvintes nesta edição do Congresso.

Para os debates, foram definidos os seguintes temas gerais:

 

  1. Concordância nominal: critérios para a coleta de dados e definição de variáveis e seus fatores para trabalho conjunto.
  2. Concordância verbal de 3ª pessoa do plural: critérios para a coleta de dados e definição de variáveis e seus fatores para trabalho conjunto.
  3. Concordância verbal de 1ª pessoa do plural: critérios para a coleta de dados e definição de variáveis e seus fatores para trabalho conjunto.
  4. Critérios para o estudo de variedades africanas do Português como L1 e/ou L2.

 

Maiores informações sobre a dinâmica das sessões de debate serão enviadas aos membros do grupo que confirmarem presença.

 

 

 ____________________________________________________

 

XVII CONGRESSO DA ALFAL

João Pessoa, Paraíba, Brasil

14 ao 19 de julho 2014

 

Informe sobre as atividades desenvolvidas durante o

XVII Congresso Internacional da ALFAL

 

Coordenadoras:

Silvia Rodrigues Vieira - UFRJ

Silvia Figueiredo Brandão - UFRJ

 

O projeto contou, como convidada, com a presença da Prof. Dra. Perpétua Gonçalves, da Universidade Eduardo Mondlane, de Moçambique, que ministrou um curso e atuou como debatedora dos trabalhos. Foram apresentadas 12 das 14 comunicações previstas, que focalizaram aspectos relacionados à concordância em diferentes variedades do português (europeia, brasileira, africanas). Reservou-se, ainda, um dia para o balanço das atividades realizadas no triênio, bem como para o debate sobre os tópicos de estudo a serem priorizados nos próximos três anos e a definição de iniciativas que congregassem todos os integrantes do grupo.

 

Dentre as principais decisões, encontram-se: (i) a formação de quatro subequipes de trabalho, consoante a estrutura a ser contemplada na investigação - primeira pessoa verbal, terceira pessoa verbal, concordância nominal, estruturas com os verbos ter e haver; (ii) a criação de um grupo (Googlegroup), que funcionará como um fórum permanente de discussão e troca de materiais; (iii) a organização de um número dos Cadernos da ALFAL, reunindo artigos baseados nas comunicações apresentadas no âmbito do projeto e prevista para o final de outubro de 2014, e (iv) a realização de um ALFALito, em 2016, provavelmente na Universidade Federal do Rio de Janeiro.

 

____________________________________________________

 

 

 

PROGRAMAÇÃO

 

 

Dia 16/07 (quarta-feira)

14h às 15h40

14h

 

 

 

 

 

 

 

14h10

 

 

 

 

 

14h40

 

 

 

 

 

15h10

APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA DE TRABALHO DO PROJETO NO EVENTO

 

INÍCIO DAS APRESENTAÇÕES E DEBATE DOS TRABALHOS

Debatedora convidada:

Perpétua Gonçalves (Universidade Eduardo Mondlane)

 

 

1.       PADRÕES DE CONCORDÂNCIA VERBAL DE 3ª PESSOA NO PORTUGUÊS: UM BALANÇO DAS CONTRIBUIÇÕES DO PROJETO 21 DA ALFAL

SILVIA RODRIGUES VIEIRA

 

 

2.       O ESTATUTO VARIÁVEL DA CONCORDÂNCIA VERBAL DE TERCEIRA PESSOA DO PLURAL NO PB E NO PE

ALEXANDRE MONTE

 

 

3.       A VARIAÇÃO NA CONCORDÂNCIA VERBAL DE TERCEIRA PESSOA DO PLURAL NAS VARIEDADES BRASILEIRA E EUROPEIA E AS HIPÓTESES NEOGRAMÁTICA E DIFUSIONISTA

ISABEL DE OLIVEIRA E SILVA MONGUILHOTT

16h às 19h

 

16h

 

 

 

 

16h30

 

 

 

 

17h

 

 

 

 

 

17h30

 

 

 

 

18h

 

 

 

 

 

18h30

 

4.       DECISÕES METODOLÓGICAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS NO ESTUDO DE FENÔMENOS VARIÁVEIS RELACIONADOS À PRIMEIRA PESSOA DO PLURAL

CÁSSIO FLORÊNCIO RUBIO

 

5.       CONCORDÂNCIA VERBAL E SÓCIO-HISTÓRIA DO PORTUGUÊS BRASILEIRO

SILVANA SILVA DE FARIAS ARAUJO

 

6.       VARIAÇÃO NA CONCORDÂNCIA VERBAL JUNTO À 3ª PESSOA DO PLURAL NO PORTUGUÊS POPULAR DA CIDADE DE SALVADOR, BAHIA

DANTE EUSTACHIO LUCCHESI RAMACCIOTTI

 

7.       VARIAÇÃO NA CONCORDÂNCIA VERBAL NO PORTUGUÊS DE ALMOXARIFE, SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

ALAN NORMAN BAXTER

 

8.       A CONCORDÂNCIA DE TER E HAVER EXISTENCIAIS NO PORTUGUÊS AFRICANO

DINAH MARIA ISENSEE CALLOU, ERICA DE SOUSA ALMEIDA, PRISCILA GUIMARAES BATISTA

 

9.       CONCORDÂNCIA VERBAL NO PORTUGUÊS DE ANGOLA

MARIA ANTÓNIA RAMOS COELHO DA MOTA

 

 

Dia 17/07 (quinta-feira)

14h às 15h40

14h

REUNIÃO DE PLANEJAMENTO

 

Propostas para montagem de grupos de trabalho

 

Planejamento de Publicação do Projeto 21: CADERNOS DA ALFAL

 

Elaboração de cronograma de trabalho

 

 

 

Dia 18/07 (sexta-feira)

14h às 15h40

 

14h

 

 

 

14h30

 

 

 

15h

 

 

 

ESTUDOS SOBRE CONCORDÃNCIA NOMINAL EM TRÊS VARIEDADES DO PORTUGUÊS: NOVAS PERSPECTIVAS

SILVIA FIGUEIREDO BRANDÃO

 

A COERÊNCIA DIALETAL NAS CONCORDÂNCIAS NOMINAL E VERBAL NO PORTUGUÊS PAULISTANO

LIVIA OUSHIRO

 

A CONCORDÂNCIA NOMINAL EM PREDICATIVOS E PASSIVAS NA VARIEDADE POPULAR DO PORTUGUÊS DE SALVADOR

VIVIAN ANTONINO DA SILVA

16h às 19h

 

 

16h

 

 

16h30

 

 

 

 

CONSTRUÇÕES COM SE NAS VARIEDADES EUROPEIA E SANTOMENSE DO PORTUGUÊS: UM ESTUDO CONTRASTIVO

ANGELA MARINA BRAVIN DOS SANTOS

 

UM PANORAMA DA NORMA DE FLEXÃO VERBAL DE NÚMERO EM CONSTRUÇÕES COM SE APASSIVADOR/INDETERMINADOR

MARCIA DOS SANTOS MACHADO VIEIRA

 

 

Dia 19/07 (sábado)

10h às 12h

 

--------------------

 

 

__________________________________________________________

 

 

CONVOCATÓRIA

 

Projeto 21 - Padrões de concordância em variedades africanas, brasileiras e europeias do Português

 

Coordenadoras: Silvia Rodrigues Vieira - Universidade Federal do Rio de Janeiro/UFRJ

Silvia Figueiredo Brandão - Universidade Federal do Rio de Janeiro/UFRJ

 

 

METAS

Reunir trabalhos sobre concordância em variedades do Português.

Criar parcerias para desenvolver análises contrastivas de resultados, com base em amostras e procedimentos de mesmo perfil metodológico.

Planejar publicação (perfil e calendário de execução) possivelmente em um número dos Cadernos da ALFAL.

 

 

TEMAS

Concordância verbal - em qualquer número-pessoa.

Concordância nominal - interna ao SN e em estruturas predicativas/passivas.

O estatuto da concordância e o tipo linguístico da variedade do Português em análise.

Concordância e interfaces (Concordância e expressão morfofonológica; Concordância e expressão do sujeito; Concordância e passivas/indeterminação).

 

 

PESQUISADORA CONVIDADA para a reunião no XVII Congresso Internacional da ALFAL:

 

Perpétua Gonçalves (Universidade Eduardo Mondlane/;Moçambique)

 

 

 

 ____________________________________________________

 

ATIVIDADES DURANTE O XVI CONGRESSO

 (Alcalá de Henares)

 

 

O Projeto 21, intitulado Estudo comparado dos padrões de concordância em variedades africanas, brasileiras e européias do Português, realizou sua primeira reunião durante o XVI Congresso Internacional da ALFAL. Durante o evento, foi possível não só tomar conhecimento dos resultados das pesquisas desenvolvidas por seus integrantes e por novos interessados, mas também traçar as diretrizes para o trabalho no triênio.

 

Na realidade, o Projeto 21 originou-se como um desdobramento do Projeto de Cooperação Internacional Brasil-Portugal (CAPES 217/08), que teve início em março de 2008 e agrega pesquisadores do Programa de Pós-graduação em Letras Vernáculas da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e do Centro de Linguística da Universidade de Lisboa (CLUL). No âmbito do projeto anterior (site: www.letras.ufrj.br/concordancia), a equipe desenvolveu amplo estudo do fenômeno da concordância e temas afins, atentando especialmente para a determinação dos parâmetros que caracterizam e delimitam as variedades africanas, brasileiras e europeias do Português. A constituição da nova equipe, na qualidade de Projeto ALFAL, torna possível não só a ampliação dos estudos sobre a concordância mediante diversificadas abordagens teórico-descritivas, mas também a necessária abrangência de diferentes variedades linguísticas do Português.

 

A primeira reunião dos integrantes do grupo foi bastante produtiva, em termos quantitativos e qualitativos. Como se pode conferir na programação do evento, foram constituídos grupos de trabalho, com o objetivo de conhecer o estágio atual das pesquisas (16 trabalhos) quanto aos seguintes subtemas: concordância verbal; concordância nominal – interna ao SN e em estruturas predicativas; concordância e temas afins relacionados ao sujeito; concordância em estruturas verbais específicas. A apresentação dos resultados obtidos em cada investigação foi fundamental para o estabelecimento de questões científicas a serem perseguidas pelos membros do projeto no triênio.

 

Na última sessão da reunião, foram estabelecidos os parâmetros para o funcionamento do Projeto e para a intercomunicação de seus membros. Sintetizando as decisões tomadas, podem-se destacar as seguintes medidas: (1) montagem de quatro equipes de trabalho para o tratamento dos subtemas já apresentados, todos relacionados à concordância em variedades do Português; (2) estabelecimento de questões a serem respondidas pelas equipes; (3) adoção de um corpus comum aos trabalhos de todas as equipes, a ser totalmente disponibilizado no site www.letras.ufrj.br/concordancia; e (4) realização de um Alfalito no Rio de Janeiro / Brasil, a ser planejado oportunamente, ocasião em que se pretende contar com a participação não só dos investigadores brasileiros e portugueses, mas também de pesquisadores africanos.

 

Com essas medidas, a coordenação do Projeto almeja fazer do grupo de trabalho um espaço efetivo de debate sobre a concordância em variedades do Português, com desenvolvimento de pesquisas comparativas de dados africanos, brasileiros e europeus, realizadas em equipe. Dessa forma, espera-se evitar que o espaço destinado ao projeto 21 se transforme em mera sessão de trabalhos em congressos, o que contrariaria não só a proposta inicial da ALFAL, mas também a razão pela qual esse recente projeto foi aceito recentemente no rol de projetos da Associação.

 

____________________________________________________

 

 

Equipe inicial:

▪ do Brasil (além das coordenadoras):

Ângela Marina Bravin dos Santos (Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro)

Célia Regina dos Santos Lopes (Universidade Federal do Rio de Janeiro)

Dinah Maria Isensee Callou (Universidade Federal do Rio de Janeiro)

Juliana de Segadas Vianna (Universidade Federal do Rio de Janeiro)

Maria Eugênia Lamoglia Duarte (Universidade Federal do Rio de Janeiro)

Silvia Regina de Oliveira Cavalcante (Universidade Federal do Rio de Janeiro)

 

▪ de Portugal - recentemente associados à ALFAL:

Aline Bazenga (Universidade da Madeira)

Maria Amália P. Mendes (Universidade de Lisboa)

Maria Antónia Ramos Coelho da Mota (Universidade de Lisboa)

Matilde S. Miguel Sarmento ((Universidade de Lisboa)

 

Descrição do Projeto:

O Projeto ora proposto dá continuidade aos estudos desenvolvidos no âmbito do Projeto de Cooperação Internacional Brasil-Portugal (CAPES 217/08), que teve início em março de 2008 e agrega pesquisadores do Programa de Pós-graduação em Letras Vernáculas da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e do Centro de Linguística da Universidade de Lisboa (CLUL). No âmbito do referido projeto (site: www.letras.ufrj.br/concordancia), a equipe vem desenvolvendo amplo estudo do fenômeno da concordância e temas afins, atentando especialmente para a determinação dos parâmetros que caracterizam e delimitam as variedades africanas, brasileiras e europeias do Português. Com a expansão do Projeto para outros participantes da ALFAL, será possível não só a diversificação de abordagens teórico-descritivas, mas também a necessária abrangência de diferentes variedades linguísticas do Português.

 

Objetivos

Em termos gerais, o projeto que ora se propõe pretende: i) aprofundar o conhecimento sobre a língua portuguesa nas variedades africanas, brasileiras e europeias do Português, por meio de estudos contrastivos; e (ii) aprofundar o conhecimento sobre os padrões de concordância e temas afins, em sua relação com os diversos níveis gramaticais.

 

Espera-se que o Projeto possa construir um quadro comparativo global que permita (i) traçar, do ponto de vista geográfico, intercontinental, os padrões de concordância (marcando a diferenciação e os continua linguísticos); (ii) determinar tendências de mudança linguística em curso ou que se anunciam, através da análise de cada variedade e da comparação entre variedades; (iii) estabelecer hipóteses ou testar hipóteses prévias sobre a origem das diferenças observadas, tendo em conta a história do português; e (iv) testar hipóteses explicativas do conjunto dos fenômenos observados, à luz dos princípios subjacentes a todas as gramáticas e dos parâmetros específicos a subconjuntos de gramáticas.

 

Justificativa

Ao visar à comparação entre variedades do português usadas em três continentes (África, Brasil e Europa), no que diz respeito a uma questão central das gramáticas, a concordância morfossintática, a investigação permite preencher importante lacuna na abordagem contrastiva dos estudos linguísticos, ao tornar possível o conhecimento de diversas variedades em confronto. Desse modo, podem-se estabelecer padrões variáveis de concordância, associando-os a variedades e subvariedades (desde a standard até outras variedades dialetais), o que contribuirá para determinar diferentes gramáticas em co-existência e em concorrência, em cada espaço geográfico onde se fala português. A descrição e a análise do fenômeno nas variedades africanas, especialmente, constituem importantes desafios, já que são as menos estudadas até hoje. Estudos aprofundados poderão contribuir para o conhecimento da realidade linguística e, não menos importante, para o estabelecimento das variedades standard do português nos países africanos (L1 para parte dos falantes e L2 para a grande maioria), questão essa que se reveste da maior importância, quer do ponto de vista linguístico, propriamente dito, quer do ponto de vista do ensino (por exemplo, para a elaboração de gramáticas e de manuais). Acrescente-se, ainda, que o português europeu (PE) dispõe de poucos estudos sobre morfossintaxe dialetal, sendo a questão da concordância nominal e verbal muito pouco estudada.

 

Cronograma inicial

Para o cumprimento das diversas etapas de trabalho, estima-se, para o início da investigação, a realização do I Encontro de planejamento das atividades do Projeto, durante o XVI Congresso da ALFAL, a se realizar no período de 06 a 09 de junho de 2011, na Espanha. Nesse encontro, ficarão determinadas as diretrizes para a execução das seguintes ações fundamentais:

(1)   Delimitação das variedades linguísticas que constituirão a base da análise dos dados;

(2)   Montagem das equipes responsáveis pelos subtemas e pelas variedades;

(3)   Deliberações relativas ao desenvolvimento das pesquisas em termos teórico-metodológicos e quanto à divulgação dos resultados.

 

Considerações finais

Cumpre salientar que o projeto já reúne pesquisadores brasileiros e portugueses e está aberto à colaboração de investigadores africanos. Seu cronograma de desenvolvimento está sujeito às alterações determinadas não só pelo alargamento da equipe, mas também por fatores que fogem ao domínio dos pesquisadores e são inerentes a qualquer trabalho científico. Possíveis mudanças que resultem do processo de investigação não alterarão, no entanto, a natureza do trabalho, que constitui pesquisa sobre fenômeno da concordância e temas a ele relacionados, numa abordagem contrastiva das variedades africanas, brasileiras e europeias do Português.