ÍNDICE
Veja a revista aqui

 

 

 

Adolfo Elizaincín - Apresentacão - Págs. 5-6

 

 

Artículos/Artigos

 

Márluce Coan - Obsolescência ou persistência: o mais-que-perfeito conjuntivo / Obsolescence or persistence: the conjunctive pluperfect - Págs. 9-32

 

Vinícius Gonçalves dos Santos e Flaviane Romani Fernandes Svartman - Padrões tonais nucleares de declarativas e interrogativas neutras do português angolano do Libolo / Nuclear tonal patterns of neutral statements and questions in the angolan portuguese of Libolo - Págs. 33-52

 

Roberta Quintanilha Azevedo, Carmen Lúcia Barreto Matzenauer e Ubiratã Kickhöfel Alves - Formalização dos níveis de representação fonológicos na produção e no reconhecimento das consoantes plosivas em coda medial no pe: uma análise bidirecional / Formalizing levels of phonological representation in the production and recognition of word-mid stop codas in european portuguese: a bidirectional analysis - Págs. 53-80

 

A. Ariadne Domingues Almeida - Como posso te achar no Facebook? Você me acha como... Questões sobre metonímia, modernidade líquida e emoção na antroponímia / How can i find you on Facebook? You can find me as... Questions about metonymy, liquid modernity and emotion in anthroponymia - Págs. 81-101

 

Martín Califa y Valeria A. Belloro - Motivaciones discursivas para la posición del sujeto intransitivo en mocoví y toba (guaycurúes, Argentina) / Discourse motivations for intransitive subject position in mocovi and toba (guaykuruan, Argentina) - Págs. 103-125

 

Irania Malaver A. - Clásicos de la filología hispánica en nueva colección de ASALE / Classics of Hispanic Philology in new collection of ASALE - Págs. 127-145

 

 

Notas/Notes

 

Andrés de Azevedo - Ladran, Ferdinand /Dogs are barking, Ferdinand - Págs. 149-171

 

María José Gallucci - Paola Bentivoglio (1932-2019) y la lingüística en Venezuela / Paola Bentivoglio (1932-2019) and linguistics in Venezuela - Págs. 173-184

 

 

Reseñas/Resenhas

 

Encargado de reseñas/Encarregado de resenhas

Dr. Gaston Hilgert, Universidade Presbiteriana MacKenzie

São Paulo - Brasil - gastonh@uol.com.br 

 

 

GUSTAVO XIMENES CUNHA e ANA LARISSA ADORNO MARCIOTTO OLIVEIRA (orgs.). 2018. Múltiplas perspectivas do trabalho de face nos estudos da linguagem. [livro eletrônico], Belo Horizonte: Núcleo de Análise do Discurso/Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos/Faculdade de Letras da UFMG - Págs. 187-193

Resenhado por Lara Oleques de Almeida

 

ZLATKA GUENTCHÉVA (ed.). 2018. Epistemic modalities and evidentiality in cross-linguistic perspective. Berlin/Boston: The Gruyter Mouton - Págs. 195-202

Reseñado por Cecilia Bértola da Rosa

 

 

 Publicado: 15/6/20

 

**********************************

 

 

 

Cuadernos de la ALFAL

Nº 12 (1)

 

 

Estudos linguísticos: da aquisição ao uso

 

Dermeval da Hora, Juliene L. Ribeiro Pedrosa e Rubens M. Lucena 

Coordinadores

 

 

ÍNDICE
(Ir ao cuaderno)

 

 

Alba Valencia 

Cuadernos de la ALFAL - diez años después 

 

Dermeval da Hora, Rubens Lucena e Juliene Pedrosa

Presentación 

 

 

I. ASPECTOS SOCIAIS DO USO DA LÍNGUA

 

Lucía María Niklison 

Lo que la RAE no nombra no existe: una mirada glotopolítica sobre las respuestas de la RAE al lenguaje inclusivo/no sexista / That which RAE does not name does not exist: a glotopolitical analysis of RAE’s response to inclusive/non sexist language 

 

Ingrid Cruz do Nascimento e Pedro Felipe de Lima Henrique

A relação entre a percepção das vogais médias pretônicas e a escrita do português brasileiro (PB) / The relationship between the perception of mid-vowels in pre-stressed position and the writing of brazilian portuguese (PB) 

 

Mikaylson Rocha da Silva e Almir Anacleto de Araújo Gomes

O papel das atitudes linguísticas nos estudos variacionistas e de contato dialetal no PB / The role of linguistic attitudes in variational and dialectal contact studies in BP 

 

Lucas Possatti e Rubens M. Lucena

Análise do processo de acomodação linguística de falantes cariocas em João Pessoa / Analysis of the linguistic accommodation process of speakers from Rio de Janeiro in João Pessoa

 

 

II. ESTUDOS DE GÊNERO

 

Thainá da Costa Lima e Amanda Braga

Gênero e discurso político no Brasil: uma análise discursiva das representações midiáticas de Dilma Rousseff durante o processo de impeachment / Gender and political speech in Brazil: a discursive analysis of Dilma Rousseff’s media representations during the impeachment process 

 

Hugo Fernando da Silva Nascimento

O gênero reportagem e seu funcionamento semântico-argumentativo e enunciativo:a polifonia de locutores / The journalistic report genre and its semantic-argumentative and enunciative operation: the polyphony of speakers

 

 

III. ESTUDOS DISCURSIVOS

 

Soraya Gonçalves Celestino da Silva e Evangelina Maria de Brito Faria

Multimodalidade em cenas de atenção conjunta: análise do curta animação Cuerdas / Multimodality in joint attention scenes: analysis of the short animation Cuerdas

 

Wilder Kleber Fernandes de Santana e Alixandra G. R. de Medeiros e Oliveira

Carlos Heitor Cony em foco: uma análise dialógico-heterodiscursiva da crônica Do Jornalismo e da Literatura / Carlos Heitor Cony in focus: a dialogic-heterodiscursive analysis of the chronicle Of Journalism and Literature

 

 

IV. PRÁTICA DOCENTE

 

Maria Aldetrudes de A. M. P. Quadros e Ailma do Nascimento Silva

Ensino e aprendizagem de ortografia: uma análise sobre as representações múltipla s do fonema /s/ / The teaching and learning of spelling: an analysis about the multiple representations of phoneme / s / 

 

 

V. AQUISIÇÃO

 

Anilda Costa Alves

Produção da fricativa interdental não vozeada do inglês /θ/ por aprendizes Brasileiros através do desenvolvimento da consciência fonológica / Production of english voiceless interdental fricative / θ / by brazilian learners through the development of phonological awareness

 

Késia Vanessa Nascimento da Silva e Renata Fonseca Lima da Fonte

O “não” gestual na linguagem de uma criança autista: uma perspectiva multimodal / The signal “no” in the language of an autistic child: a multimodal perspective

 

 

 Publicado: 6/5/20

 

**********************************

 

 

 

Apresentamos à comunidade científica um dos produtos do ALFALito realizado na Universidade Federal da Paraíba - Brasil em 2018.

 

 

 

Livro completo em pdf

 

 

SUMÁRIO

 

 

Apresentação - Pág. 07

 

 

Parte I – Forma e função - Pág. 11

 

Curva melódica das manifestações emotivas da alegria e tristeza na fala de pessoas com e sem Down - Taís Ferreira Brito; Marian Oliveira (UESB) - Pág. 13

 

Percepção dos brasileiros na composição de palavras por base+base: balanceamento do número de sílabas e haslologia atuando no portmanteau - Emerson Viana Braga; Vera Pacheco (UESB) - Pág. 29

 

A palatalização do /s/ em coda em registro de fala natalense – Carla Maria Cunha; Priscila Sheila de Medeiros da Silva (UFRN) - Pág. 45

 

Flexão de ‘cada’ em concordância com o silent noun set – Bruna Karla Pereira (UFVJM) - Pág. 63

 

A concordância verbal de terceira pessoa e o contato linguístico no português de moçambique - Karen Cristina da Silva Pissurno (UFRJ) - Pág. 80

 

A colocação pronominal como pista de “grupos estabelecidos e outsiders” - Marilza de Oliveira (USP) - Pág. 97

 

A conceptualização manipulativa da construção [falar para infnitivo] - Vanda Maria Cardozo de Menezes (UFF) - Pág. 115

 

A variação lexical de calcinha e cueca em três regiões brasileiras e as relações temporais feitas pelos falantes: um recorte do projeto ALiB - Maria Bethânia Gomes Paes; Marcela Moura Torres Paim (UFBA) - Pág. 127

 

A forma e as funções do sufxo –inho no português e a sua tradução para o alemão: uma cervejinha ou ein bierchen? - Pedro Paulo Nunes da Silva (UFPB) - Pág. 144

 

 

Parte II – Política Linguística - Pág. 167

 

Política e planejamento linguístico: panorama das pesquisas em teses e em dissertações no Brasil - Socorro Cláudia Tavares de Sousa; Roberta Soares Paiva; Camila Geyse Virgulino (UFPB) - Pág. 168

 

O ensino do idioma espanhol na cidade de João Pessoa: encontros e desencontros entre as políticas declaradas, praticadas e percebidas - Daniella de Melo Vanderlei Ferreira (UFPB) - Pág. 191

 

 

Parte III – Atividades de Ensino e Aprendizagem / aspectos textuais e discursivos - Pág. 215

 

Posicionamento enunciativo e autoria em textos-discursos da enfermagem: uma análise sobre escrita acadêmica - Anielle Andrade de Sousa; Regina Celi Mendes Pereira (UFPB) - Pág. 216

 

Estratégias dialógicas do professor em aulas de leituras - Ramísio Vieira de Souza; Maria de Fátima Almeida; Janielly Santos de Vasconcelos Viana (UFPB) - Pág. 239

 

Direitos de aprendizagem no eixo escrita: concepções de professores do 3º ano do ensino fundamental - Jaciara de Lira Almeida Dantas; Evangelina Maria Brito de Faria (UFPB) - Pág. 261

 

Profssão docente em contexto multicultural e linguístico: representações sociais de professoras de língua portuguesa reveladas em tempos desbussolados - Nilmara Milena da Silva Gomes (UERR) - Pág. 277

 

 

 

 

**********************************

 

 

 

Acordo de cooperação entre a Universidade Federal do Pará - Brasil 

e instituições estrangeiras

 

 

A Universidade Federal do Pará, denominada UFPA, na Cidade de Belém, Estado do Pará, Brasil, os quais cientes do interesse recíproco, pactuam celebrar o presente Acordo que será regido segundo as cláusulas a seguir: 

 

Cláusula I – Objetivos

O presente Acordo objetiva estabelecer e desenvolver relações de cooperação internacional entre ambas as Instituições através da colaboração acadêmica, científica e cultural. 

 

Cláusula II – Tipos de cooperação

A cooperação entre ambas as Instituições poderá ser desenvolvida segundo alguma das seguintes modalidades: 1) Elaboração de Acordo de Tese de Doutoramento em regime de Cotutela Internacional 2) Intercâmbio de informações e publicações; 3) Intercâmbio de docentes e pesquisadores para cursos, seminários, colóquios ou simpósios; 4) Intercâmbio e fomento a atividades conjuntas de ensino, pesquisa e extensão, de estudantes de graduação e pós-graduação; 5) Desenvolvimento de estudos conjuntos de pesquisas, com acesso pleno a equipamentos e material específico; 6) Visitas de curta duração.

 

Cláusula III – Áreas de cooperação

Cláusula IV – Convênios específicos

Cláusula V – Reconhecimento 

Cláusula VI - Da propriedade intelectual 

Cláusula VII - Do sigilo e confidencialidade

Cláusula VIII – Vigência e duração

Cláusula IX – Jurisdição

 

Leia completo o modelo de acordo em língua portuguesa 

 

 

Arquivos para download em .doc:

 

Lista de Acordos

Formulário para propostas de acordos internacionais

Modelo de acordo em língua espanhola

Modelo de acordo em língua inglesa

Modelo de acordo em língua francesa

 

 

Mais info em PROINTER (Pró-Reitoria de Relações Internacionais da Universidade Federal do Pará)

 

 

 

 

**********************************

 

 

 

A revista oficial da Associação, Lingüística, ganhou o prestigioso prêmio que outorga a Editorial Elsevier, junto com sua base SCOPUS, cujo objetivo é reconhecer a produção acadêmica de excelência. 

A ANII (Agencia de Innovación e Investigación de Uruguai) considerou “de interés”.

 

A cerimônia teve lugar na quinta-feira 11 de outubro no Radisson Victoria Plaza Hotel de Montevidéu. 

Recebeu o prêmio o Diretor-Editor da revista Lingüística, Dr. Adolfo Elizaincín.

 

 

ELSEVIER

PREMIO EXCELENCIA URUGUAY 2018

Periódico con mayor Citescore

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Adolfo Elizaincín, Director-Editor da revista Lingüstica

 

 

Raúl Scavarelli, Adolfo Elizincín e Carina Patrón, parte da equipe da revista Lingüística

 

 

 

 

**********************************

 

 

 

 

A LINGUÍSTICA BRASILEIRA E O DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS COLETIVOS

 

 

Ataliba T. de Castilho

Coordenador do Projeto de Gramática do Português Falado

Coordenador do Projeto de História do Português Brasileiro

Professor Emérito da USP

Professor Titular Convidado da Unicamp

 

 

 

 

Uma característica marcante da Linguística Brasileira é o tratamento de temas fundamentais da identidade linguística dos brasileiros por meio de projetos coletivos. 

 

Para participar desses projetos, são convidados linguistas experientes sobre o fenômeno da linguagem. Nunca produtivas do que as semelhanças.

 

São muitos os projetos coletivos desenvolvidos em nosso país, mas vou aqui focalizar apenas dois deles, dada sua extensão e complementaridade.

 

 

Gramática do Português Culto Falado no Brasil (GPF)

 

Esse projeto de desenvolveu entre 1988 e 2016, tendo por objetivo examinar com mais precisão os materiais levantados Estudo da Norma Urbana Culta (Projeto NURC), desenvolvido entre 1970 e 1990, em cinco capitais brasileiras, sendo quatro fundadas no século XVI (São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Recife), e uma fundada no século XVIII (Porto Alegre). 

 

O Projeto NURC documentou amplamente a fala urbana, complementando os projetos de dialetologia rural. Agora, o objetivo era registrar e descrever a linguagem dos grandes centros urbanos.

 

Os amplos materiais retrataram o Português Brasileiro tal como utilizado em entrevistas, diálogos e aulas, trazendo a língua falada para o centro das preocupações científicas. Esses materiais continuam abertos à pesquisa no site do Centro de Documentação Linguística e Literária Alexandre Eulálio, do Instituto de Estudos da Linguagem da Unicamp: www3.iel.unicamp.br/cedae

 

O era uma gramática de referência do Português Brasileiro falado, ampliando os temas e modernizando os pontos de vista teóricos até então vigentes nesse gênero científico.

 

Numa primeira fase, os pesquisadores organizaram-se em grupos de trabalho: Fonética e Fonologia, Morfologia, Sintaxe gerativista, Sintaxe funcionalista, Organização do texto. Cada grupo escolheu uma perspectiva teórica e estabeleceu uma agenda de pesquisas. Os resultados assim obtidos foram apresentados em dez seminários, realizados entre 1990 e 2002, cujos resultados foram publicados em uma série própria, pela Editora da Unicamp, com o apoio da Fapesp.

 

Finalizada a agenda dos grupos, veio a consolidação dos resultados, em sete volumes:

 

Vol. 1 - Clélia Cândida Spinardi Jubran (Org. 2015). A construção do texto falado. São Paulo: Editora Contexto / Fapesp.

 

Vol. 2 - Mary A. Kato e Milton Nascimento (Orgs. 2015). A construção da sentença. São Paulo: Editora Contexto / Fapesp.

 

Vol. 3 - Rodolfo Ilari (Org. 2014). Palavras de classe aberta. São Paulo: Editora Contexto / Fapesp.

 

Vol. 4 – Rodolfo Ilari (Org. 2015). Palavras de classe fechada. São Paulo: Editora Contexto / Fapesp.

 

Vol. 5 - Maria Helena de Moura Neves (Org., 2016). A construção de orações complexas. São Paulo: Editora Contexto / Fapesp.

 

Vol. 6 - Ieda Maria Alves e Ângela C. S. Rodrigues (Orgs. 2015). A construção morfológica das palavras. São Paulo: Editora Contexto / Fapesp.

 

Vol. 7 – Maria Bernadete Marques Abaurre (Org. 2013). A construção fonológica da palavra. São Paulo: Editora Contexto / Fapesp. 

 

O leitor interessado encontrará aqui o que de melhor a Linguística brasileira publicou nos últimos anos, em matéria de reflexão gramatical. Além de renovar a área, reunindo os linguistas mais preparados do país, a coleção fez do Português Brasileiro a primeira língua românica a ter sua variedade falada culta amplamente descrita.

 

Os cientistas sabem que boas respostas conduzem sempre a novas perguntas, abrindo novos horizontes à indagação, com o surgimento de novos projetos. Com o PGPF não foi diferente, levando os pesquisadores a estudar a história do que se descobrira. Surgiu, assim.

 

 

História do Português Brasileiro (PHPB)

 

O PHPB seguiu os mesmos passos do projeto anterior: recrutamento de bons linguistas, identificação de temas, seleção de perspectivas teóricas, exposição à crítica dos resultados parciais e, finalmente, consolidação dos resultados. 

 

O projeto conta hoje com pesquisadores distribuídos por várias equipes regionais: Alagoas, Bahia, Ceará, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraíba, Pará Oeste, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe. Também estimulou uma “convivência dos contrários”, abrigando sociolinguistas, gerativistas, funcionalistas e cognitivistas. 

 

A agenda compreendeu as seguintes atividades: organização do corpus diacrônico, história social, mudança gramatical, tradições discursivas, diacronia dos processos constitutivos do texto, história do léxico.

 

Nove seminários nacionais foram realizados para a discussão dos achados, todos publicados numa série própria.

 

O projeto completou 10 anos em 2007. Surgiu então a ideia de consolidar os resultados obtidos numa grande obra de referência, a História do Português Brasileiro, de que resultaram doze volumes, assinalando-se por um asterisco os já publicados:

 

*Vol. 1 - Ataliba T. de Castilho (Coord.) –O Português em seu contexto histórico. São Paulo: Editora Contexto. 

 

Vol. 2 - Ataliba T. de Castilho (Coord.) – Corpus diacrônico do Português Brasileiro. São Paulo: Editora Contexto. 

 

Vol. 3 – Dermeval da Hora, Elisa Battisti e Valéria de Oliveira Monaretto (Coords.) – Mudança fonológica do Português Brasileiro. São Paulo: Editora Contexto. 

 

* Vol. 4 – Célia Regina dos Santos Lopes (Coord.) – Mudança sintática das classes de palavras: perspectiva funcionalista. São Paulo: Editora Contexto / CNPq. 

 

Vol. 5 - Ataliba T. de Castilho (Coord.) – Mudança sintática das construções: perspectiva funcionalista. São Paulo: Editora Contexto. 

 

* Vol. 6 – Sonia M. L. Cyrino e Maria Aparecida C. R. Torres de Morais (Coords.) – Mudança sintática do Português Brasileiro: perspectiva gerativista. São Paulo: Editora Contexto / Fapesp. 

 

* Vol. 7 – Maria Lúcia C.V.O. Andrade e Valéria Gomes (Coords.) – Tradições discursivas do Português Brasileiro: constituição e mudança dos gêneros discursivos. São Paulo: Editora Contexto / Fapesp. 

 

Vol. 8 – Eduardo Penhavel e Marcos Rogério Cintra (Coords.) – Abordagem diacrônica dos processos de construção textual do Português Brasileiro. São Paulo: Editora Contexto. 

 

Vol. 9 – Dinah Callou e Tânia Lobo (Coords.) – História social do Português Brasileiro: da história social para a história linguística. São Paulo: Editora Contexto. 

 

Vol. 10 – Jânia Ramos e Marilza de Oliveira (Coords.) – História social do Português Brasileiro: da história linguística para a história social. São Paulo: Editora Contexto. 

 

Vol. 11 – Rodolfo Ilari e Renato Basso (Coords.) – Semântica diacrônica do Português Brasileiro. São Paulo: Editora Contexto. 

 

Vol. 12 – Vanderci Aguilera e Fabiane Cristina Albino (Coords.) – Léxico Histórico do Português Brasileiro. Versão eletrônica. São Paulo: Editora Contexto. 

 

 

O leitor encontrará nesta coleção uma apresentação moderna da história do Português Brasileiro, como resultado de vinte anos de atividades. Pesquisadores qualificados prepararam os capítulos dos volumes desta série, alargando consideravelmente os horizontes da Linguística Histórica no Brasil.

 

Tradicionalmente, os manuais de Linguística Histórica estudam a mudança fonológica, morfológica e sintática de uma língua natural. Alguns deles incluem a formação do Léxico. Esses manuais têm sido denominados “Gramática Histórica”. 

 

A opção dos autores desta coleção foi agregar novos campos de investigação para o conhecimento histórico do Português Brasileiro. Aqui, além da Gramática, foram considerados também o Discurso (no sentido de diacronia do texto e estudo das tradições discursivas), a Semântica diacrônica e o Léxico Histórico do Português Brasileiro. Dessa forma, os quatro sistemas que organizam uma língua natural foram aqui investigados: Gramática, Discurso, Léxico e Semântica. Nossos pesquisadores enfrentaram um desafio e tanto! 

 

Lendo os capítulos que compõem esta coleção, o leitor atento poderá concluir que uma nova geração de linguistas históricos apresenta aqui os resultados de suas pesquisas, tratando de novos temas, concorrendo para um conhecimento mais aprofundado da história do Português Brasileiro.

 

O propósito dos pesquisadores não se esgota nestas páginas. Eles se voltam também para você, leitor, convidando-o a identificar novos temas e a desenvolver novas abordagens, inspirando-se no que já se fez.

 

 

                                                                                                            Campinas, 2018.

 

 

 

 

**********************************

 

 

Páginas