História

 

A ideia de sua fundação ocorreu em agosto de 1962, em Cambridge, Massachusetts, durante o IX Congresso Internacional de Linguística, organizado pelo Comitê Internacional Permanente de Linguistas (CIPL, dependente da UNESCO) por iniciativa de um grupo de linguistas e hispanistas latino-americanos e de outras proveniências.

 

A efetivação da ALFAL aconteceu em Viña del Mar, Chile, numa reunião realizada de 20 a 25 de janeiro de 1964, sob os auspícios do Instituto de Filologia da Universidade do Chile.

 

Os interesses maiores dessa reunião de fundação transparecem na designação das Comissões de Pesquisas então organizadas: “O problema da língua na América”, “Estado atual dos estudos linguísticos e filológicos na América Latina”, “O problema do método nas investigações dialetológicas na América Latina”, “As línguas indígenas da América Latina”, e “Tendências atuais nos estudos da Literatura latino-americana”.

 

Esses tópicos acompanhariam a associação em sua história, unindo pesquisadores da filologia, da linguística espanhola, portuguesa e indígena, e da literatura latino-americana. Inicialmente, a ALFAL desenvolveu suas atividades juntamente com o Programa Interamericano de Linguística e Ensino de Idiomas (PILEI), fundado em 1966 por inspiração de Donald Solá e de outras lideranças. A ALFAL organizava seus congressos, e o PILEI promovia projetos coletivos de pesquisa, simpósios e institutos. Essa parceria se estendeu de 1966 a 1981, quando o PILEI desapareceu, e a ALFAL assimilou alguns projetos que ali se desenvolviam. A parceria ALFAL-PILEI concorreu fortemente para a implantação dos estudos linguísticos no subcontinente. 

 

A segunda etapa da ALFAL caracterizou-se pela determinação em manter a Associação, aumentar o número de sócios e estimular os interessados nas atividades da ALFAL. A Associação tem uma enorme dívida para com as Diretorias que se sucederam, tendo em vista os êxitos obtidos, tanto quanto com as Comissões Organizadoras dos Congressos Internacionais por seu notável esforço. Todos eles garantiram a existência da ALFAL que em 2014 cumpriu seus cinquenta anos.

 

A Associação tem hoje por volta de mil  e quinhentos sócios. A publicação da revista Lingüística veio atender a um antigo anseio dos associados. O primeiro número saiu em 1989, e temos hoje trinta e três números publicados (33-1, junho de 2017).

 

Os Estatutos da Associação foram modificados no IX Congresso (1990) em Campinas; posteriormente, por ocasião do XI Congresso (Las Palmas de Gran Canaria, 1996), foram novamente modificados.

 

A pesar das dificuldades econômicas por que passam nossos países, uma nova conjuntura, marcada pelo impulso da globalização, apresenta sérios desafios aos linguistas e filólogos latino-americanos: o de atender a seu indeclinável papel social diante das comunidades mais próximas e diante da comunidade maior em que estamos inseridos. O mundo mudou, de sorte que os desafios de manter uma associação científica internacional hoje em dia não são os mesmos dos anos 70.